Ouça agora na Rádio

N Notícia

Ivan Sorti / Santos

FOTO: Ivan Sorti / Santos

Com reservas, Santos é goleado pelo Botafogo e avança como segundo do grupo

Os donos da casa não tiveram qualquer dificuldade para fazer 4 a 0

Informações compartilhadas Superesportes

O Santos visitou o Botafogo nesta quarta-feira, em Ribeirão Preto, e encerrou a primeira fase do Campeonato Paulista sendo atropelado. Na luta pela permanência na elite estadual, os donos da casa não tiveram qualquer dificuldade para fazer 4 a 0 na equipe alvinegra, que foi quase toda formada por reservas e pagou pelo desinteresse no confronto.

Com a vaga garantida, o Santos lutava pela ponta do Grupo A, mas avançou com a segunda posição da chave. Nas quartas de final, a equipe terá a difícil tarefa de encarar o time de melhor campanha em todo o Estadual, o Red Bull Brasil, e decidir a classificação às semifinais como visitante.

Se não impediu a vaga na próxima fase, o resultado desta quarta deixou o Santos em alerta. Afinal, a equipe que foi sensação do Paulistão no início da temporada chega para a fase decisiva em seu pior momento. Diante do Botafogo, completou três jogos seguidos sem marcar gols.

Por outro lado, a festa foi do Botafogo, que encerrou o tabu de 18 anos sem vencer o Santos e garantiu-se na elite do ano que vem. A equipe chegou a 11 pontos, ainda na lanterna do Grupo D, mas com campanha melhor do que São Bento e São Caetano, que foram rebaixados.

O time de Ribeirão Preto se beneficiou do desinteresse do Santos, começou a pleno vapor e abriu o placar logo com um minuto. Erick recebeu na área e tentou mesmo com pouco ângulo, mas Vanderlei defendeu. A sobra ficou com Marlon Freitas, que colocou na área para Rafael Costa cabecear, desta vez sem chances para o goleiro.

O Botafogo seguiu pressionando a saída de bola santista e não demorou para chegar ao segundo. Aos 18 minutos, após escanteio da direita, Erick cabeceou. Vanderlei espalmou, mas Plínio concluiu para a rede.

Dois gols atrás, o Santos passou a controlar a posse, bem ao seu estilo. O problema é que, sem um meia de criação, apenas tocava de um lado para o outro, sem qualquer perigo à área adversária. O homem mais acionado era Copete, que insistia nos cruzamentos, todos inofensivos. Somente quando Gustavo Henrique foi para o ataque, conseguiu assustar, em cabeçada que acertou o travessão.

Em compensação, o Botafogo pouco pisava no campo de ataque, mas era sempre perigoso quando o fazia. Aos 38, Marlon Freitas ganhou da defesa e arriscou da entrada da área, rente ao travessão. Na volta para o segundo tempo, Nadson arrancou em rápido contra-ataque e deixou Rafael Costa em ótimas condições para marcar mais um.

O terceiro gol definiu a partida. O Botafogo recuou e deixou o Santos com a posse, mas o time alvinegro seguiu sem qualquer criatividade. Inoperante, Felippe Cardoso deu lugar a Orinho, e Copete foi para o ataque. Nada mudou. Para piorar, o time da casa ainda aproveitou a expulsão de Lucas Veríssimo para marcar o quarto, novamente com Rafael Costa, selando uma noite memorável para o torcedor botafoguense.

BOTAFOGO 4 X 0 SANTOS

BOTAFOGO
 - Darley; Bruno José (Evandro), Plínio, Naylhor e Pará; Willian Oliveira, Marlon Freitas e Nadson (Wellington Bruno); Erick (Ednei), Rafael Costa e Felipe Saraiva. Técnico: Roberto Cavalo.

SANTOS - Vanderlei; Luiz Felipe (Rodrygo), Gustavo Henrique e Lucas Veríssimo; Matheus Ribeiro, Yuri, Jean Lucas (Felipe Jonatan), Diego Pituca e Copete; Eduardo Sasha e Felippe Cardoso (Orinho). Técnico: Jorge Sampaoli. 

GOLS - Rafael Costa, a um minuto, e Plínio, aos 18 minutos do primeiro tempo. Rafael Costa, aos três e aos 42 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Raphael Claus.

CARTÕES AMARELOS
 - Pará (Botafogo); Matheus Ribeiro (Santos).

CARTÃO VERMELHO - Lucas Veríssimo (Santos).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL
 - Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP).

FONTE: Superesportes / Estadão Conteúdo
Link Notícia